Parcerias e articulação em redes


Enquanto metade das organizações (50%) participa regularmente de projetos, programas ou grupos de trabalho de pelo menos uma rede, cerca de um terço (36%) delas assume papel de governança nessas estruturas e outro terço (35%) tem participação esporádica nessas alianças. Além disso, um em cada três respondentes (32%) aporta recursos financeiros ou materiais para viabilizar projetos ou programas da(s) rede(s) que compõe e 29% investem no fortalecimento institucional ou na gestão desses grupos. Apenas um em cada quatro respondentes (23%) participa de redes por meio de apoio à comunicação ou divulgação.

Gráfico 1: Organizações por forma de participação em redes ou grupos



Quanto menor a faixa de investimento, maior a parcela de organizações que não se articula em redes ou grupos. Todos os respondentes que investem mais de R$ 20 milhões fazem parte de redes ou grupos. Nas organizações da faixa de investimentos entre R$ 6 e 20 milhões, esse percentual cai para 91% e, para aquelas que destinam até R$ 6 milhões, essa proporção diminui para 86%.

Gráfico 2: Organizações por participação em redes ou grupos e tipo de investidor


Em todos os tipos de investidores, é mais frequente a presença em redes ou grupos por meio da participação regular em projetos, programas ou grupos de trabalho, exceto no caso de empresas, no qual é mais comum (41%) o aporte de recursos financeiros ou materiais para viabilizar projetos ou programas ou para assegurar o fortalecimento ou gestão dos grupos ou redes.

Gráfico 3: Organizações por forma de participação em redes ou grupos e tipo de investidor


TROCA DE CONHECIMENTO E INFORMAÇÕES É ATRIBUTO MAIS VALORIZADO EM REDES OU GRUPOS

Quando perguntados a respeito do que mais valorizam na atuação em redes ou grupos, mais da metade dos respondentes (52%) mencionou a troca de informações e/ ou conhecimento. Por outro lado, em último lugar está a oportunidade de conexão com organizações de diferentes perfis, destacada pela menor parcela (6%).

Gráfico 4: Organizações por atributos valorizados na participação em redes ou grupos


Dentre os respondentes que não atuam em redes ou grupos, 45% seguem diretrizes institucionais para agir dessa forma, enquanto 36% não contam com disponibilidade de equipe para desempenhar essa atividade. Além disso, 9% apontam restrições de recursos e outros 9% afirmam não ter encontrado oportunidade para se articular em alianças desse tipo.

Gráfico 5: Organizações que não atuam em redes ou grupos por principal motivo